Concurso Bacen: comissão do Senado aprova autonomia do órgão

concurso Bacen (Banco Central do Brasil, também conhecido BC ou BCB) continua dependendo do Ministério da Economia para que sair do papel, mas isso pode ser alterado caso o órgão ganhe autonomia.

A expectativa é de que uma nova seleção ocorra somente após a aprovação do projeto de lei complementar 19/2019, que visa dar maior autonomia para a instituição. A proposta recebeu, nesta terça-feira, 18 de fevereiro, aval favorável por parte da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal. Com isto, o texto agora volta para análise no plenário da casa, em regime de urgência.

O presidente da Câmara dos Deputador, Rodrigo Maia, já havia anunciado, no final de 2019, que o texto deve ser aprovado ainda em fevereiro.  

Com a proposta, além do controle da inflação, o Bacen passará a ter mais dois objetivos: suavizar as flutuações do nível de atividade econômica e zelar pela solidez do sistema financeiro. 

A proposta também fixa em quatro anos o mandato para os dirigentes da autarquia, com a possibilidade de uma recondução, e determina que o mandato do presidente do BC comece no primeiro dia útil do terceiro ano do mandato do presidente da República.

 

Oportunidades do concurso Bacen

Está em análise na Economia um pedido do Concurso Bacen, que prevê o preenchimento de 260 vagas distribuídas entre três carreiras, da seguinte maneira: 200 para analista, 30 para procurador e 30 para técnico. 

Os postos de analista e procurador aceitam candidatos com formação superior em diversas áreas de atuação - neste caso, os vencimentos correspondem a R$ 16.286,90 e a R$ 17.788,33, respectivamente.

Já a posição de técnico destina-se aos profissonais que possuem apenas ensino médio completo. O salário inicial oferecido para ocupa a posição é bastante atrativo: R$ 6.463,44 por mês.

Vale ressaltar que as remunerações já incluem o valor do benefício-alimentação, que equivale a R$ 458 mensais.

Concurso Bacen: último edital

Em 2013, o concurso Banco Central promoveu seleção com 500 vagas destinadas aos cargos de técnico e analista. Na ocasião, a banca organizadora foi o Cespe/UnB e a remuneração inicial oscilou entre R$ 5.158,23 e R$ 14.289,24.

A carreira de técnico apresentou 100 oportunidades e estava dividida entre as áreas de suporte técnico-administrativo e segurança institucional. A exigência era de ensino médio completo.

Destinado a profissionais de nível superior, o cargo de analista (400) estava distribuído em seis áreas de conhecimentos: análise e desenvolvimento de sistemas, suporte à infraestrutura de tecnologia da informação, política econômica e monetária, contabilidade e finanças, infraestrutura e logística, e gestão e análise processual.

O processo seletivo do concurso Bacen (Banco Central) constou de prova objetiva, teste discursivo e análise de títulos – este último apenas para analista. Depois, houve um programa de capacitação aos candidatos aprovados.

Todos os profissionais contratados pelo concurso foram lotados em Brasília (DF), Belém (PA), São Paulo (SP), Salvador (BA) e Porto Alegre (RS).

Dica de estudo para o concurso do Bacen

Kaire Sena

Kaire Sena é Jornalista, formada pela UNIPAR - Universidade Paranaense desde 2006.

Pós-graduada “Lato Sensu” em Assessoria de Imprensa e Comunicação Empresarial – UNIVEL - União Educacional de Cascavel desde 2009. 
Com vasto conhecimento na área de concursos públicos, é gestora de conteúdo editorial no Focus Concursos.

Carregando...