Uso Dos Porquês — Entenda De Uma Vez Essa Regra Gramatical e Acerte Tudo No Concurso

Alguma vez, ao escrever uma redação ou até mesmo uma mensagem, você já parou para se perguntar qual era a forma correta do “porquê” naquela frase? A dúvida quanto ao uso dos porquês é uma temática bastante polêmica, afinal, quando usar um e outro? 

Sabendo que a exata aplicação pode ser um grande diferencial na redação de um concurso público, preparamos este artigo para você. Confira! 

Qual é a regra do uso dos porquês?

A Língua Portuguesa é certamente uma das mais complexas e difíceis de todo o mundo. Existem muitas regras que devem ser atentamente aprendidas na escola para que, na fase adulta, você não perca oportunidades de emprego quanto a sua ortografia, por exemplo. 

Uma dessas regras se dá ao uso dos porquês. Afinal, saber aplicá-la corretamente durante uma redação pode fazer toda a diferença em relação a compreensão e interpretação do texto. 

Ao todo, existem quatro tipos de porquês e todos eles são aplicados de formas diferentes em uma oração. Veja abaixo quais são:

  • por que: utilizado em perguntas;

  • porque: utilizado em respostas;

  • por quê: utilizado em perguntas ao final de uma frase;

  • porquê: indica motivo, razão, e pode ser usado como substantivo. 

A seguir, separamos exemplos dessa regra gramatical e quando é necessário usar um ou outro. Acompanhe!

Use o por que para...

O “por que” separado e sem acento pode ser usado no começo de perguntas, ou seja, no início de uma frase, ou no meio de orações interrogativas diretas. 

Sendo assim, a ideia do seu uso é indicar o sentido de por qual razão ou pelo qual. Por exemplo:

  • “Por que José não se cadastrou para realizar a prova no concurso?”;

  • “Por que será que não estudei mais sobre o assunto de Direitos Humanos para o teste?”. 

Agora, quando o “por que” está sendo usado no meio de uma frase, o mesmo tem a função de pronome relativo, por exemplo:

  • “O exame por que passei foi muito difícil”;

  • “A razão por que não passei, eu ainda não sei”.

Para ficar mais fácil de associar o seu uso no meio de uma oração, tente substituir o pronome para “por qual” ou “pelo qual”. Se a troca der certo, você já sabe qual será a aplicação correta! 

Use o porque para...

Talvez o mais usado seja o “porque” junto e sem acento. Ele tem a função explicativa sobre algo ou alguma coisa e pode ser facilmente substituído por “pois”, “uma vez que” e “para que”. 

Veja abaixo alguns exemplos da sua aplicação correta:

  • “Não consegui chegar ao local da prova porque houve um acidente na rodovia”;

  • “Eu entendi a questão porque o professor apresentou vários exemplos”.

Use o por quê para...

O “por quê” gera muitas dúvidas, pois ele também dá o sentido de uma frase interrogativa direta. Porém, diferentemente do “por que”, ele é usado ao final de uma oração. 

É importante saber que sua aplicação também pode dar um sentido exclamativo ou interrogativo quando você der uma pausa, com um ponto final, e depois iniciar a pergunta novamente. Veja abaixo:

  • “O resultado ainda não saiu? Por quê?”;

  • “Nós não vamos mais juntos por quê?”. 

Use o porquê para...

Já o “porquê” junto e com acento tem valor de substantivo — palavras que designam seres — e indica um motivo ou uma razão.  

Repare que ele aparece em frases antecedendo um artigo, pronome, adjetivo ou numeral:

  • “Queria entender o porquê de isso ter caído na prova.”;

  • “Não foi explicado o porquê de termos sido desclassificados”. 

E aí? Conseguiu agora diferenciar e entender o uso dos porquês? 

Por que saber a ortografia correta é importante?

Saber fazer uma sentença com a ortografia correta, ainda mais em concursos, pode fazer com que você se destaque entre os outros participantes. Afinal, dominar o idioma do seu país é primordial. 

É fato que muitas palavras mudaram depois que o Novo Acordo Ortográfico entrou em vigência. Porém, algumas regras permaneceram da mesma forma. 

Para te ajudar a se preparar para um exame, uma dica útil que todos os participantes deveriam fazer, é praticar a leitura de textos atualizados e, é claro, de fontes confiáveis. 

O exercício de ler vai fazer com que o seu cérebro memorize automaticamente a grafia de certas palavras, inclusive, de como empregá-la e fazer o seu uso correto durante uma conversa ou escrita. 

Aproveite para aprimorar seus conhecimentos com o uso dos porquês com professor Sidney Martins: 

Veja também alguns exercícios na prática com o professor Douglas Wisniewski:


Gostou das dicas e do conteúdo? Acompanhe outros como esse aqui no blog do Focus Concursos! Aproveite também para conhecer nossos planos de assinatura ilimitada que incluem curso de Língua Portuguesa completo para concursos!

Kaire Sena

Kaire Sena é Jornalista, formada pela UNIPAR - Universidade Paranaense desde 2006.

Pós-graduada “Lato Sensu” em Assessoria de Imprensa e Comunicação Empresarial – UNIVEL - União Educacional de Cascavel desde 2009. 
Com vasto conhecimento na área de concursos públicos, é gestora de conteúdo editorial no Focus Concursos.

Carregando...