Oi oi oi meus queridos concurseiros! Tudo bem com vocês?

Inicio nossa reflexão de hoje com um pensamento do grande Augusto Cury:

“Todos sabem que errar é humano. Mas insistimos em sermos deuses, temos a necessidade neurótica de sermos perfeitos.”

Como é difícil admitirmos que estamos fazendo ou agindo errado, não é mesmo?

Admitir e até mesmo recomeçar, realmente exige muita maturidade. A nossa tendência é sempre de encontrar uma justificativa ou até mesmo culpar terceiros.

Mas se refletirmos um pouco, chega a ser engraçado nosso comportamento. Afinal, qual o problema em assumirmos que erramos?

Erramos quando começamos a dar nossos primeiros passos, erramos quando começamos a andar de bicicleta, erramos quando começamos a dirigir, erramos em amizades, enfim: erramos. A diferença é que nestes casos, normalmente de forma rápida admitimos e voltamos a tentar. Grande diferença, não?

Já imaginou se quando estivéssemos aprendendo a pedalar, na primeira queda já desistíssemos? Provavelmente ainda hoje não saberíamos.

Considere que normalmente aprendemos a pedalar com um bike que não é a ideal para nós e em espaços pequenos (quintal de casa ou cantinho da rua). Ou seja, teríamos vários culpados ou desculpas se assim quiséssemos. Mas optamos por tentar novamente, até conseguirmos.

E por que será então, alminhas, que pensamos em desistir quando erramos uma questão ou não passamos em um determinado concurso?

Precisamos aceitar de uma vez por todas, que SIM! Vamos errar muito e que a probabilidade de não sermos aprovados nas primeiras provas que realizarmos é grande.

A diferença, meus queridos, é o que fazemos com este erro. Acredito realmente que esta é uma das grandes virtudes dos aprovados.

Não sei uma determinada questão ou errei? Preciso pesquisar, perguntar ao professor ou rever a matéria/aula para esclarecer aquele ponto.

Não passei naquele concurso tão desejado? Preciso rever a prova, considerar o que errei mais, em que disciplina ou conteúdo e reforçar minha dedicação nisso.

Atrás de um erro, existe sempre um grande aprendizado, alminhas. Cabe a nós escolhermos o que faremos com este erro. Somente assim podemos atingir o nível de preparo que precisamos.

Sucesso, alminhas!

Professor Everson Brugnolo