Habeas Corpus – Tudo O Que Você Precisa Saber Sobre

Habeas Corpus é um remédio constitucional, ou seja, é um direito garantido pela Constituição Federal e pode ser solicitado em caso da necessidade de tutela da liberdade de locomoção.

Quer entender quais são os casos que permitem pedido de Habeas Corpus e as razões pelas quais esse direito constitucional existe? Então confira o artigo do Focus Concursos e saiba como responder às questões relacionadas na hora da prova!

Neste artigo você verá:
  • o que é Habeas Corpus?;
  • por que o Habeas Corpus é necessário?;
  • Habeas Corpus é um recurso?;
  • quais são as formas do Habeas Corpus?;
  • qual foi a relação do Habeas corpus e a Ditadura Militar?

O que é Habeas Corpus

Como definido anteriormente, Habeas Corpus é um remédio constitucional. Isso quer dizer que ele é uma ferramenta, que os cidadãos podem utilizar para interferir em ações de abuso de poder.

O pedido desse remédio permite que a pessoa que solicitou tenha uma tutela do Estado, assegurando que ela possa se locomover livremente. Essa é uma garantia de seu direito fundamental de ir e vir, que faz parte do artigo 5º da Constituição Federal de 1988.

Além disso, esse elemento ainda permite que o indivíduo tenha segurança de não ser vítima de violência, pois estará sendo protegido pelo próprio Estado.

Por que o Habeas Corpus é necessário

No Brasil, é muito comum a citação desse elemento nos principais noticiários. Até porque, ele  ele é utilizado frequentemente em casos que envolvem figuras públicas.

Segundo a legislação brasileira, um cidadão só poderia ser preso, condenado de fato, quando não houvesse mais possibilidade de pedidos de recursos. Então, nas prisões em 1ª e 2ª instância cabe à assessoria jurídica do réu, o pedido de habeas corpus.

Dessa forma, o indivíduo alega que não há respaldo jurídico, para que ele continue preso e que ainda deva responder em liberdade. Mais recentemente, isso pode ser observado no caso do ex-presidente Lula e do ex-presidente Michel Temer.

Então, basicamente, a solicitação desse remédio constitucional permite que prisões preventivas não sejam consolidadas.  Além disso, promove segurança para que pessoas públicas envolvidas em polêmicas e comoções que geram revoltas, não sejam alvos de tentativa de violência.

Habeas Corpus é um recurso?

O Habeas Corpus consta no Código de Processo Penal no capítulo dos recursos, porém, esse remédio constitucional não é um recurso e, sim, uma ação autônoma. Podendo ser utilizada como:

  • ação cautelar: ato de precaução, para assegurar a providência cognitiva ou executiva;
  • ação declaratória: realizada ao poder Judiciário, para que declare como existente ou inexistente uma situação jurídica;
  • ação constitutiva: para que haja uma alteração ou extinção de uma relação jurídica;
  • ação rescisória constitutiva negativa: busca extinguir a o elemento em que o réu é julgado.

Dica: fique atento a este detalhe. Lembre-se de que o remédio constitucional, apesar da localidade onde se encontra na Carta Magna, é uma ação e não um recurso.

Quais são as formas do Habeas Corpus?

Como já citado anteriormente, é comum o conhecimento de casos de pedidos de habeas corpus, por sua presença nos noticiários, em casos de prisões ou envolvimento de escândalos políticos com pessoas públicas.

Existem duas formas de ações:
  1. preventivo: utilizado geralmente quando há envolvimento em questões de comoção pública, então, para haver segurança do cidadão, solicita-se tutela para garantir que ele não seja alvo de ataques;
  2. liberatório: mais conhecido, pois é solicitado no caso em que o indivíduo já se encontra preso.

Qual é a relação do Habeas Corpus e a Ditadura Militar

A Ditadura Militar brasileira durou 21 anos e, como forma de retomada do poder democrático, foi vigorada a Constituição Federal de 1988. Os artigos contidos na carta refletem em grande parte as violações de direitos dos cidadãos sofridos naquele período.

Realizando esse corte histórico, é possível entender a importância do habeas corpus para que haja justiça e direitos básicos a todos os cidadãos brasileiros.

Em 1968, durante o governo de Artur da Costa e Silva, foi decretado o AI-5, marcando o período mais violento da Ditadura. Neste decreto, composto por 12 artigos, uma das restrições foi a proibição da garantia de habeas corpus para crimes políticos.

Mas o que isso impactou na prática? Como havia grande perseguição de pessoas envolvidas na esquerda revolucionária, proibir a solicitação da ação permitiria que essas pessoas estivessem suscetíveis a prisões preventivas.

Essa medida resultou em inúmeras mortes e marcou a história do país, demonstrando a importância fundamental da existência dessa ação, para que haja manutenção da justiça.

No Focus Concursos, você encontra vários conteúdos sobre o assunto. Quer conseguir uma vaga no setor público? Então, aproveite já para conferir os cursos disponíveis no setor jurídico.

Enviar mensagem
Estamos online!