Existem algumas carreiras que são muito valorizadas e respeitadas no Brasil, como medicina, direito e engenharia. Da mesma forma, alguns cargos são muito respeitados e procurados por profissionais de todas as áreas, como é o caso do concurso da Polícia Federal, que acabou se tornando um dos processos seletivos mais concorridos do país.

Os motivos para a alta procura não faltam. Remuneração atrativa, estabilidade e crescimento são os principais. O setor está muito movimentado recentemente devido a notícias sobre avanços de um novo certame, contudo a declaração do ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, nesta quarta-feira (13) “incendiou” o universo dos concursos. Ele afirmou em entrevista que vai assinar hoje (quarta-feira, 13) o edital do concurso para 500 vagas na Polícia Federal. O documento deverá ser publicado no Diário Oficial da União nesta quinta-feira, dia 14.

Interessou-se sobre o assunto? Então, continue a leitura e saiba tudo sobre a carreira e o concurso da Polícia Federal.

Como funciona a carreira na Polícia Federal?

A carreira na Polícia Federal pode ser explicada pelo padrão de Classes, por meio da qual o titular permanecerá pelo menos três anos até conseguir o direito à promoção à classe superior. 

As Classes são: 3ª Classe, 2ª Classe, 1ª Classe e Classe especial, no caso do Agente de Polícia Federal. O trabalho se inicia pela 3ª Classe, quando é dado início à aplicação das funcionalidades aprendidas no curso de formação. Após três anos, o profissional é promovido para a 2ª Classe. A partir de então, o profissional muda de Classe a cada 5 anos, até atingir a Classe Especial. 

É válido afirmar ainda que as ocupações na Polícia Federal podem ser divididas em dois grupos: carreira Policial e carreira Administrativa. Obviamente, dentro de cada um dos grupos é possível ocupar inúmeros cargos e, para cada um deles, existe um requisito diferente. 

Já para nível intermediário as opções são: agente administrativo, agente de comunicação social, agente de telecomunicações e eletricidade, auxiliar de assuntos educacionais, auxiliar de enfermagem, desenhista, operador de computador, programador ou técnico em contabilidade.

Quais os cargos disponíveis?

Como destacado, os principais cargos da Polícia Federal são: Agente de Polícia Federal, Delegado, Escrivão, Papiloscopista e Perito Criminal.

Agente de Polícia Federal

As atribuições do agente de Polícia Federal se dão pela execução de investigações e operações policiais, por meio da prevenção e repressão de ilícitos penais. Além disso, é preciso dirigir veículos policiais, cumprir medidas de segurança e a realização de outras atividades do órgão.

Delegado da Polícia Federal 

O Delegado da Polícia Federal é responsável por implantar e comandar procedimentos de investigação, além de orientar a execução de investigações ligadas à prevenção e repressão de ilícitos penais. É atribuição do Delegado de Polícia Federal o planejamento de operações de segurança e investigações, a supervisão e execução de missões sigilosas e outras atividades relacionadas ao órgão. 

Escrivão

O Escrivão é responsável por efetivar as formalidades processuais, lavrar termos e mandados, sempre observando os prazos necessários ao preparo, à ultimação e à remessa de procedimentos policiais de investigação. Também é conferido ao Escrivão acompanhar a autoridade policial em diligências, dirigir os veículos policiais, dentre outras atividades.

Papiloscopista

As atribuições do Papiloscopista dizem respeito às digitais e se dão pela execução, orientação, supervisão e fiscalização dos trabalhos papiloscópicos de coleta, análise, classificação, pesquisa, arquivamento e perícias, além de assistir à autoridade policial e desenvolver estudos na área. 

Perito Criminal

O Perito Criminal é uma das funções mais concorridas no concurso da Polícia Federal. Esse profissional é especializado por encontrar ou proporcionar provas técnicas ou provas periciais, por meio da análise científica de vestígios produzidos e deixados na prática de delitos. 

Os elementos relacionados com a infração penal são estudados por profissionais especializados, sendo possível provar a ocorrência de um crime e, principalmente, a maneira como o crime ocorreu. 

Informações como as partes envolvidas (vítima, criminoso e outras pessoas que possam ter relação com o incidente), assim como a maneira que aconteceu o fato e as ferramentas utilizadas também são identificadas. É preciso deixar claro que a prova pericial é requisito indispensável em qualquer tipo de crime, não podendo ser dispensado, nem mesmo se o criminoso confessar o delito. 

Para simplificar, podemos dizer que o Perito Criminal é responsável por estudar o corpo (objeto envolvido no crime), refazer o mecanismo (saber como ocorreu), examinar o local do crime e realizar exames laboratoriais, entre outras coisas. 

Como ingressar?

Para ingressar na Polícia Federal é preciso ser aprovado em um concurso público. Não existe outra forma de trabalhar nesse órgão, sem encarar as provas.

As provas são aplicadas em todas as regiões do Brasil. O cargo que sempre possui mais vagas disponíveis é o de agente de Polícia Federal, seguido pela área administrativa, pelos escrivães e, por fim, pelos papiloscopistas. 

As provas do concurso são compostas por exames objetivos e discursivos, além de testes de aptidão física, exame médico, avaliação psicológica e análise de currículo acadêmico. Além disso, é preciso ter carteira nacional de habilitação, no mínimo na categoria “B”.

É válido afirmar que, por uma decisão do Supremo Tribunal Federal, são reservadas vagas aos candidatos portadores de deficiência física. Esses candidatos são submetidos a todas as provas, em igualdade de condições com os demais concorrentes. 

Quais os requisitos do concurso?

Existem alguns requisitos necessários para ser aprovado no concurso da Polícia Federal. Veja:

Carreira Policial

Para ingressar na carreira Policial é preciso cumprir os requisitos específicos de cada cargo e, ainda:

  • ser aprovado no concurso e na investigação funcional e/ou social;
  • ser brasileiro (a) ou português (a);
  • estar em dia com as obrigações eleitorais;
  • no caso de candidato homem, apresentar certificado de dispensa ou de reservista;
  • ter RG e carteira de motorista (pelo menos B);
  • ter pelo menos 18 anos (no dia da matrícula no Curso de Formação Profissional);
  • cumprir todas as exigências do Edital;
  • estar apto física e mentalmente para a execução do cargo.

Dentre os cargos existentes na carreira Policial, podemos destacar: Agente de Polícia Federal, Escrivão e Papiloscopista (todos esses cargos é preciso ter um diploma de qualquer curso superior). Também é possível optar por se tornar Delegado de Polícia Federal (é preciso ser bacharel em Direito) ou Perito Criminal Federal (É preciso ser formado em algumas especializações).

Os cursos para se tornar Perito Criminal são: análise de sistemas, biomedicina, ciências biológicas, ciências contábeis, ciências da computação, ciências econômicas, engenharia agronômica, engenharia cartográfica, engenharia civil, engenharia da computação, engenharia de minas, engenharia de redes de comunicação, engenharia de telecomunicações, engenharia de telecomunicações, engenharia elétrica, engenharia eletrônica, engenharia florestal, engenharia mecânica, engenharia mecatrônica, engenharia química, farmácia, física, geologia, informática, medicina, medicina veterinária, odontologia, química ou química industrial.

Carreira Administrativa

Assim como a carreira policial, a carreira administrativa necessita de uma série de requisitos para ocupar as vagas disponíveis, como:

  • ser aprovado no concurso e na investigação funcional e/ou social;
  • ser brasileiro (a) ou português (a);
  • estar em dia com as obrigações eleitorais;
  • no caso de candidato homem, apresentar certificado de dispensa ou de reservista;
  • ter RG;
  • comprovar o nível de escolaridade e outros requisitos do cargo;
  • ter pelo menos 18 anos (no dia da matrícula no Curso de Formação Profissional);
  • cumprir todas as exigências do Edital;
  • não estar cumprindo pena;
  • estar apto física e mentalmente para a execução do cargo.

Na carreira administrativa existem vagas para nível superior e nível intermediário (diploma de graduação e diploma de ensino médio, respectivamente).

Os cargos para nível superior são: administrador, arquiteto, arquivista, assistente social, bibliotecário, contador, enfermeiro, engenheiro civil, engenheiro de aeronaves, engenheiro de telecomunicações, engenheiro eletricista, engenheiro mecânico, estatístico, farmacêutico, médico cardiologista, médico ortopedista, médico psiquiatra, médico veterinário, nutricionista, odontólogo, psicólogo clínico, psicólogo organizacional, técnico em assuntos culturais, técnicos em assuntos educacionais (educação física, filosofia, sociologia, pedagogia), técnico em comunicação social (jornalismo e relações públicas). 

Como são as provas do concurso?

As provas do concurso da Polícia Federal não são nada simples. O conteúdo programático é extenso, englobando diversas áreas de conhecimento tanto para as provas específicas como para todos os candidatos. 

Tomando por base o último concurso realizado pela Polícia Federal, efetuado em 2014, houve 120 questões de múltipla escolha de caráter eliminatório e classificatório. Os conteúdos cobrados foram:

  • atualidades;
  • legislação especial;
  • língua portuguesa; 
  • noções de administração;
  • noções de contabilidade;
  • noções de direito administrativo;
  • noções de direito constitucional;
  • noções de direito penal;
  • noções de economia;
  • noções de informática;
  • raciocínio lógico.

Já na prova discursiva é preciso produzir um texto dissertativo de até 30 linhas em um tema proposto pela banca organizadora. 

É interessante destacar que a prova do concurso da Polícia Federal não é como a maioria das dos concursos. Geralmente o julgamento dos itens se dá por meio de duas alternativas: certo ou errado.

A nota nas provas é feita com base na marcação realizada na folha de respostas, sendo atribuído um ponto positivo caso a resposta seja correta, um ponto negativo caso a resposta seja errada ou zero pontos caso a questão esteja em branco ou as duas respostas sejam assinaladas. 

A reprovação e eliminação no concurso são confirmadas caso o candidato obtenha nota inferior a 36,00 pontos na prova objetiva. 

Quando será o próximo concurso?

Como dito no início deste post, o Edital 2018 da Polícia Federal está para ser publicado esta semana. O último concurso foi realizado em 2014, contemplando 600 vagas para Agente de Polícia Federal. Antes, porém, houve outros concursos, principalmente em 2012. Os cargos foram: Escrivão, Agente de Polícia Federal, Delegado, Papiloscopista e Perito Criminal.

A necessidade da contratação de novos Policiais Federais fica evidenciada pela fala do ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann: “Sobre a necessidade e urgência de reforçar recursos humanos, especialmente na Polícia Federal e na Polícia Rodoviária Federal, estamos autorizados a fazer concursos, com 500 novos agentes para a Polícia Federal e 500 novos agentes na Polícia Rodoviária Federal.”.

 

As 500 vagas autorizadas pelo Ministério do Planejamento, de acordo com o ministro, serão distribuídas da seguinte maneira:

  • 180 vagas para Agente de Polícia Federal;
  • 150 vagas para Delegado de Polícia Federal;
  • 80 vagas para Escrivão da Polícia Federal;
  • 60 vagas para Perito da Polícia Federal;
  • 30 vagas para Papiloscopista da Polícia Federal.

A remuneração é excelente. Os agentes, escrivães e os papiloscopistas (candidatos precisam ser formados em qualquer curso de graduação e possuírem carteira de habilitação na categoria “B”) terão vencimentos de R$ 12.444,26, podendo chegar a R$ 12.980,50. 

Os delegados (bacharel em direito) terão como remuneração um salário de R$ 23.130,48 e para os peritos (cursos de graduação específicos, mas ainda não revelados) os vencimentos serão de R$ 24.150,74. 

Como passar no concurso?

Para passar no concurso da Polícia Federal é preciso muito mais do que apenas estudar. É preciso ter estratégia. Existem algumas técnicas e formas de realizar a prova e conseguir ser aprovado. É preciso conhecer a banca e utilizar alguns métodos para cada matéria da prova.

Banca

A Cespe é a banca que é responsável por organizar o concurso da Polícia Federal. É uma característica desta banca a realização de algumas armadilhas, com perguntas que podem enganar os candidatos e induzi-los ao erro. 

A melhor maneira de se preparar para o concurso é acostumar com esse tipo de questão, realizando provas anteriores dessa banca. Além disso, o edital especifica um tipo de prova, como já destacado (respostas com opções de certo ou errado). Portanto, se o candidato estiver em dúvida é melhor deixar a questão em branco do que perder um ponto. 

Administração Pública

A melhor maneira de se preparar para a prova de administração pública é a realização de um plano de estudo, a partir da observação de alguns aspectos: leia os últimos editais da banca organizadora, principalmente as últimas provas de concurso da Polícia Federal. 

Resolver essas questões é fundamental para criar um mapeamento da recorrência dos assuntos, com base no edital corrente. Analise a recorrência dos assuntos e utilize resumos, esquemas ou mapas mentais para assimilar melhor o conteúdo. 

Para facilitar, o candidato deve ter uma programação diária de estudos que considere a realização de questões da banca, principalmente sobre a administração pública (que é uma das matérias mais difíceis).

Contudo, a equipe Pedagógica e de professores do Focus Concursos já realiza todos estes passos e compila as informações por meio de cursos, que por sinal são bem acessíveis financeiramente, caso você já queira adiantar o processo. Além de ter um excelente histórico de aprovações, a referida equipe é composta por servidores e ex-servidores que tem autoridade para lidar com o assunto.

Mas retomando sobre as provas, é fundamental prestar atenção nas pegadinhas, frequentemente aplicadas pela banca organizadora. A restrição conceitual (utilização de expressões como exclusivamente, somente, principalmente, nunca e não), a inversão conceitual (uso de palavras capazes de descrever um atributo invertido em relação a um conceito parecido), a generalização (todos, sempre e outras expressões), e a inversão sequencial (técnica utilizada para a construção de itens de prova que geram a aplicação errada de um determinado conceito).

Atualidades

A prova de atualidades engloba diversos assuntos diferentes da atividade humana. O método de preparação ideal para um candidato é prestar atenção nos assuntos em destaque na mídia. 

Sendo assim, ler revistas, jornais e estar atento aos principais sites de notícias da internet é uma maneira interessante de se manter por dentro do que está acontecendo. É importante destacar que os historiadores e geógrafos utilizam esses canais de comunicação para elaborar a prova. Os temas mais recorrentes são: meio ambiente, guerras, eventos internacionais e conferências.

Relacionado a isso também, o Focus Concursos reserva uma parte dos seus cursos para o tema “Atualidades”, além de exibir semanalmente, ao vivo, a matéria gratuitamente, além de outros assuntos importantes como Língua Portuguesa, RLM, Matemática e Legislação.

Informática

A prova de informática criada pela banca da Cespe necessita de preparo. O simples conhecimento do assunto não é suficiente para obter uma boa pontuação. É imprescindível prestar atenção durante toda a prova, principalmente pelo fato da interpretação de texto ser muito exigida. 

Alguns termos aparecem com frequência, como: é suficiente, é necessário, imune, efetivamente, sempre, afirmar, inferir ou concluir. Esses termos podem dificultar o entendimento da questão, levando o candidato ao erro. 

É preciso estudar temas como os comandos do Linux e as atualizações e utilizações do sistema Windows, além de saber as principais diferenças entre os dois sistemas operacionais. Questões sobre o pacote Office também podem cair, exigindo que o candidato saiba informações sobre os programas (Excel, Word, Power Point, entre outros).

Outro tipo de assunto recorrente nas provas realizadas pela Cespe são redes de computadores, navegadores, segurança, nuvens e, até mesmo, redes sociais. Pode-se dizer, inclusive, que a melhor maneira de se preparar para a realização da prova é ler todo o edital, analisando cada ponto a ser cobrado. 

Abrir os programas no computador e analisar suas características e funcionalidades também pode ser uma maneira interessante de garantir os pontos. Ler a parte teórica e visualizá-las, ao mesmo tempo, em aplicações pode ser essencial para uma boa pontuação. Pense nisso!

Noções de Direito Administrativo

Outro assunto que sempre está presente nos concursos são as noções de Direito Administrativo. As perguntas normalmente englobam o conhecimento dos institutos e regras presentes no edital. 

Os candidatos devem ler e reler todas as leis, principalmente a Lei nº 8.112/1990, que dá informações sobre o regime jurídico dos servidores públicos civis da União, das autarquias e das funções públicas federais. Os artigos da Constituição Federal que regem o Direito Administrativo também devem ser levados em consideração. 

É importante destacar que os detalhes presentes nas normas administrativas devem ser completamente compreendidos pelo candidato. A resolução de questões de provas anteriores é uma excelente maneira de se preparar.

Noções de Direito Constitucional

Pela natureza do cargo, é preciso que o candidato dedique certo tempo para estudar os assuntos constitucionais diretamente ligados à segurança pública, ao poder executivo, aos direitos fundamentais, e à estrutura federativa brasileira. Para isto, a dica é realizar uma leitura continuada da Constituição Federal, com auxílio de aulas ou material, tornando o entendimento do assunto mais simples. 

Raciocínio lógico

O raciocínio lógico é uma das matérias mais complicadas. Entretanto, pode-se dizer que essa disciplina tem como objetivo aproximar-se da mudança de mentalidade presente no serviço público nacional.

A administração pública não deseja contar com servidores que sejam capazes de decorar os procedimentos, mas sim que possuam proatividade em relação às suas tarefas. Essa mudança elevou o nível de exigência das provas. Contudo, o acúmulo de informações não é a principal característica dessa prova, mas a correlação entre elas. 

Assim, pode-se afirmar que estudar apenas a teoria não é suficiente. Mais uma vez, a resolução de exercícios é a melhor alternativa para estudar o raciocínio lógico. Além de fazer com que o candidato aumente o nível de exigência, a realização de questões o fará acostumar com as correlações, permitindo que a visualização da resposta de uma forma mais rápida. 

Também é interessante revisar alguns conteúdos de matemática, como geometria e aritmética, além de estudar matérias específicas, como conjuntos, prioridades e a tabela-verdade. 

Arquivologia

A arquivologia também é uma matéria que merece atenção no concurso da Polícia Federal. O edital engloba conceitos essenciais para a compreensão dos objetivos da arquivologia, principalmente em relação aos aspectos relacionados à gestão de documentos, sendo interessante destacar a avaliação documental, a microfilmagem e a tabela de temporalidade. 

Também pode ser interessante estudar a digitalização de documentos e outros assuntos sobre a preservação, como algumas técnicas de conservação e restauração. Essa é a melhor maneira de se preparar para a prova de arquivologia.

Como estudar?

Ser aprovado em concursos públicos não é nada fácil, principalmente no concurso da Polícia Federal, um dos mais concorridos do Brasil. Entretanto, é válido ressaltar que é preciso muita dedicação e perseverança, além de foco nos resultados e uma estratégia organizar seus estudos

Muitas pessoas acreditam que conseguem estudar por conta própria. Entretanto, o alto índice de concorrência, a baixa disciplina e a falta de experiência podem ser determinantes no resultado final. A melhor alternativa é escolher um bom cursinho preparatório

O Focus Concursos oferece aulas online, evitando que o aluno perca tempo com deslocamento e se estresse no trânsito. Desta forma também, é possível contar com a experiência e vivência dos professores, que sabem as principais características da banca organizadora, dando dicas importantes para o candidato. 

Além disso, o cursinho tem a capacidade de selecionar as informações relevantes, evitando assim que você perca tempo estudando outras matérias. 

Outra dica interessante para um excelente resultado no concurso é a realização de provas anteriores. Procure as últimas provas, mas se atente com o ano, pois algumas questões podem ter mudado (leis e medidas provisórias, por exemplo).

Por fim, a melhor maneira de se preparar é montando cronograma de estudos a partir dos principais assuntos indicados pelos professores, e com isso, definir horários para cada matéria. Não se esqueça que a organização é fundamental ter sucesso na prova!

Está animado para o concurso da Polícia Federal? Se quiser ter acesso a mais conteúdos como este, siga nossas páginas no Facebook, LinkedIn e Instagram, e se inscreva em nosso canal do YouTube para receber todas as nossas atualizações em primeira mão!