Mesmo o concurseiro iniciante sabe que passar em concurso público é uma tarefa que exige foco, dedicação e persistência, principalmente para vagas mais concorridas e com benefícios diversos — um grande objetivo de muitos brasileiros.

Porém, além dessa motivação, atualmente, o concurseiro também pode contar com algumas dicas e informações que ajudam na preparação e momento da prova, qualificando os estudos e agregando valor ao preparo. Dessa forma, o dia oficial pode ser mais tranquilo e garantir melhores resultados, ajudando na classificação final.

Por conta disso, confira, neste artigo, algumas dicas sobre concursos e como estar preparado para a data da prova, arrasando em suas respostas. Ficou interessado? Então continue a leitura e veja quais são elas!

Importância de ter foco

O foco influencia no planejamento do dia a dia, rotina de estudo, linha de raciocínio de acordo com a matéria e, até mesmo, tempo necessário entre um exercício e outro. Perder o foco é sinônimo de retrabalho, horas gastas e resultados decepcionantes em um momento de preparação.

Dessa forma, planejar e encontrar técnicas que ajudem a focar e aumentar a produtividade é um ótimo complemento para os estudos ou dia da prova, momento de extrema concentração e reflexão.

Confira alguns métodos que podem aumentar o foco e produtividade:

Métodos de produtividade

Para o dia a dia de estudo, há métodos consagrados que podem ajudar a encontrar o equilíbrio para a rotina, como:

Get Things Done – GTD

A técnica Get Things Done é mais utilizada para a organização do dia, refletindo no momento de estudo.

Ela é dividida entre 5 etapas que devem ser seguidas para que a rotina torne-se mais organizada, sendo elas:

  • coletar informações: basicamente colocar no papel as obrigações pessoais, profissionais ou do dia a dia, sem ignorar nada;

  • processar os dados: definir se as demandas são de curto, médio ou longo prazo e se podem ser trabalhadas atualmente. Se as informações não forem muito relevantes ou não sejam responsabilidade da pessoa, podem ser descartadas, enquanto outras são categorizadas;

  • organizar as etapas: com as pendências definidas, é preciso entender como poderão ser completadas. Para isso, defina metas e passos para que cada item seja resolvido, seguindo uma ordem lógica;

  • rever os processos: semanalmente é possível rever essas etapas e entender se há caminhos mais fáceis ou mudanças que possam ser implementadas. Essa revisão ajuda a entender o que já foi feito e como caminhar mais rápido para as soluções;

  • executar: por fim, o sistema final pode ser seguido passo a passo, garantindo que os objetivos sejam cumpridos da melhor maneira possível.

Todos esses pontos trabalham com a ideia de eliminar pensamentos extras relacionados com problemas. A partir da escrita e definição dessas pendências, a cabeça fica mais clara e livre para desenvolver raciocínios, fazendo com que o tempo seja melhor aproveitado.

Técnica Pomodoro

A Técnica Pomodoro consiste na divisão do tempo entre 25 e 5 minutos, ideal para o momento de estudo em si; são 25 minutos cronometrados de extremo foco na tarefa, sem consultar redes sociais ou distrações.

Depois de completar o período (1 pomodoro), 5 minutos de descanso para mais 25 de concentração. Após 4 pomodoros (1h40min), é possível descansar por 30 minutos, retomando o processo logo mais.

Essa técnica pode ser direcionada para exercícios, leituras ou atividades complementares de matérias diferentes, aumentando a produtividade do dia e eliminando os momentos tão comuns de postergação.

Foco no dia da prova

Para o dia da prova, o objetivo é conseguir o foco ideal para realizar questões de qualidade e nas horas disponíveis, sem se estressar com o tempo em si. Dessa forma, alguns pontos que podem ajudar são:

Prioridade das questões

Questões de áreas com maior familiaridade pelo concurseiro podem ser feitas rapidamente, diferente de perguntas mais completas. Além disso, muitos concursos cobram redação, exigindo que o concorrente separe um tempo para pensar no tema, fazer a estratégia de desenvolvimento e redigir o texto.

Dessa forma, é bom definir a prioridade entre as questões, separando por área do conhecimento ou tipo de pergunta e evitando ficar preso em um único tópico. Essa divisão ajuda a focar e otimizar o tempo.

Tempo médio

Dividindo o número de questões pelo tempo de prova é possível visualizar quantos minutos o concurseiro iniciante tem para terminar cada pergunta.

Focar no desenvolvimento do problema com base nesse tempo ajuda a se organizar melhor no momento da prova. Além disso, tentar terminar o mais rápido possível e, ainda, com qualidade e atenção, garante minutos extras para itens mais difíceis ou trabalhosos que exigirão prolongado tempo de execução.

Vale lembrar que todas essas técnicas são e devem ser adaptadas de acordo com cada estudante. Como cada pessoa estuda e lida com o dia a dia de uma forma, não há necessidade de seguir as informações rigorosamente, o ideal é encontrar um bom equilíbrio para o concurseiro.

Consequências da postergação

Por fim, alguns pontos de atenção que devem ser relembrados são as consequências de postergar tarefas e obrigações, tanto na rotina de estudos quanto no dia da prova, criando desvantagens como:

  • acúmulo de matérias;

  • desespero na hora de colocar os assuntos em dia;

  • ansiedade e noites mal dormidas para conseguir completar as leituras e exercícios atrasados;

  • aprendizado mediano;

  • esquecimento pela falta de treino e contato com o conteúdo;

  • entrega de uma prova incompleta;

  • menor tempo para o desenvolvimento das questões;

  • tempo desproporcional para pensar em cada pergunta.

Evitar deixar matéria atrasada e exercícios por fazer é um bom caminho para melhorar os estudos e, assim, conseguir entregar uma boa avaliação.

Prepare seu ambiente de estudo

Uma boa rotina de estudos também envolve o ambiente, que deve ser adequado às horas permanecidas no local. Um lugar tranquilo, limpo, organizado e com materiais disponíveis facilita na concentração e na produtividade.

Para entender melhor, basta imaginar um ambiente bagunçado em que é difícil até mesmo encontrar um lugar para sentar. Antes de começar os estudos, o concurseiro terá que organizar a mesa, cadeira, material de estudo e itens de apoio, perdendo um tempo precioso. Outro exemplo são locais muito tumultuados e barulhentos, que facilmente desviam a atenção das pessoas presentes.

A partir desses problemas, cabe ao concurseiro iniciante organizar um cômodo para melhorar a rotina de estudos ou encontrar ambientes previamente preparados, como locais de uso comum. Confira alguns exemplos de grande utilidade:

Ambientes comuns

Mesmo com maior fluxo de pessoas, ambientes de uso comum podem favorecer os estudos, principalmente quando disponibilizam materiais e meios de consulta do conteúdo.

Exemplos clássicos são bibliotecas e salas de estudo, que além de priorizar o silêncio, oferecem infraestrutura e materiais de apoio que podem qualificar os estudos. Outras opções são cafeterias ou parques, porém, esses exemplos são recomendados apenas para pessoas que conseguem estudar com algum barulho e movimentação de pessoas.

Locais privados

Para locais privados, como o ambiente residencial, é importante definir qual cômodo é o mais adequado para estudar. A sala pode ajudar com a iluminação e espaço na mesa e móveis, porém, o quarto garante maior privacidade se o concurseiro morar com outras pessoas, evitando distrações.

Para isso, basta pensar em um lugar que ofereça boa iluminação natural ou artificial, tenha itens de apoio, como mesa e cadeira, possa ser organizado de maneira que ajude a se concentrar, isole melhor os sons e presenças externas.

Estudando de forma eficiente

Além do ambiente favorecendo o aprendizado, o ato em si deve ser bem feito e aproveitado pelo concurseiro iniciante. Assim, pensar em métodos de melhorar a rotina de leitura, treino de exercícios, redação e demais atividades que complementam o conhecimento, é benéfico para o preparo total.

Para isso, é interessante seguir e conhecer algumas informações, como:

Planejamento mensal

O planejamento mensal é ótimo para dividir as matérias e garantir um estudo completo. Para isso, é necessário separar uma agenda, calendário físico ou eletrônico, planner, bullet journal ou outro produto que te ajude a enxergar os dias do mês e da semana, permitindo escrever em cada data e se programar.

Com esse calendário, identifique períodos diários que podem ser usados para estudar e separe horas de estudo para cada matéria, optando por uma divisão que misture áreas do conhecimento, ou seja, que junte biológicas com exatas em um dia, atualidades com linguagens em outro e biológicas com redação em um último.

Como exemplo, é possível separar 2 horas para química e 3 para português na segunda-feira, 3 horas para matemática e 3 para redação na terça-feira e 2 horas para biologia, 2 para gramática e outras 2 para física na sexta. Essa variedade ajuda a retomar os assuntos no decorrer da semana e fixar melhor o conteúdo, então encontre a divisão ideal!

Além disso, vale lembrar que o planejamento individual deve ser frequentemente revisto e atualizado semanalmente, afinal, existem imprevistos que podem mudar as definições.

Teoria e prática

Todo o planejamento deve ser realizado com o objetivo de encontrar um bom equilíbrio para o dia a dia. Esse equilíbrio também vale para as formas de estudo que o concurseiro usa, sendo ideal aprender tanto na teoria quanto na prática.

Um exercício de matemática, por exemplo, pode ser totalmente compreendido apenas com a teoria, porém, as questões pedirão resultados objetivos, cobrando prática e aplicação.

Essa mesma exigência é direcionada para a redação, que mesmo propondo um tema que o concurseiro iniciante possa dominar, exige bom desenvolvimento de acordo com as divisões do texto, um resultado consequente do treino.

Dessa forma, no planejamento de estudo é necessário dividir o tempo de acordo com a quantidade de leituras e exercícios necessários para uma boa captação do assunto, facilitando o desenvolvimento das respostas.

Treino com materiais compatíveis

Para que o treino seja direcionado ao dia do concurso, o concorrente pode buscar materiais que sejam voltados ao estudo específico ou já tenham sido usados em edições passadas. Em bancas de jornais há manuais completos para concurseiros, assim como plataformas que oferecem esses produtos online. Além disso, há cursos preparatórios ou apenas sites que apresentam provas e redações anteriores, bons exemplos para:

  • entender a estilística da prova e suas divisões;

  • familiarizar-se com o tipo de descrição das perguntas e o que é cobrado;

  • treinar o desenvolvimento da redação;

  • entender qual o tipo de tema pedido para o texto;

  • fazer as perguntas e testar o conhecimento.

Grupos de estudo

Mesmo que estudar sozinho seja uma tendência nos dias de preparação, tentar formar um grupo ou dupla de estudos pode ser benéfico em diversos sentidos, sanando deficiências quando se estuda sozinho e apresentando vantagens como:

  • incentivo entre os integrantes;

  • compartilhamento de materiais de apoio;

  • ajuda com áreas do conhecimento que sejam mais difíceis para um e fáceis para outro;

  • revisão de exercícios, com opiniões e pontos de vista que podem ajudar a encontrar o resultado;

  • discussões e debates relevantes, muito bons para desenvolver senso crítico e usar essa linha de raciocínio para redações, por exemplo.

Realizar estudos individuais e em grupo pode ser uma forma de equilibrar e, ao mesmo tempo, expandir as maneiras de aprendizado, gerando pontos de vantagens para o dia oficial.

Plataformas preparatórias e aplicativos

Além das dicas para estudo autônomo, há plataformas e sites que podem ajudar no preparo. Instituições profissionais e direcionadas para concursos oferecem materiais, ferramentas e informações para o candidato, além de conteúdo exclusivo de acordo com a vaga.

Essas plataformas também trabalham com base em aplicativos que podem ser úteis para a correria do dia a dia, como o aplicativo da Focus Concursos, que oferece as seguintes atividades:

  • transmissão das aulas ao vivo para alunos;

  • aceleração do vídeo de acordo com a necessidade;

  • download do material de apoio em formatos compatíveis com dispositivos móveis;

  • marcação das aulas vistas e completadas;

  • visualização das aulas e composição do curso.

O aplicativo ajuda no desenvolvimento do curso e no aproveitamento do tempo, melhorando a produtividade dos assinantes.

Mantenha-se sempre motivado

Para passar em concurso, o concorrente precisa entender o edital, se preparar em relação aos estudos, focar no dia da prova e, ainda por cima, estar sempre motivado para continuar aprendendo e não desistir!

Um bom caminho para manter-se motivado é se lembrar das metas e como a vaga pretendida ajuda em objetivos a curto, médio e longo prazo. Para isso, uma dica é escrever as metas e reler sempre que possível, além de pesquisar notícias sobre os candidatos que passaram em concursos e como isso foi um divisor de águas.

Outra forma de garantir a motivação é pontuar e rever os benefícios que a vaga oferece. Mesmo sendo uma questão mais superficial, não há como ignorar que o concurso público gera grandes vantagens, como:

  • maior estabilidade, principalmente após 3 anos cumprindo a função;

  • remuneração com média alta, muitas vezes superior aos cargos privados;

  • benefícios atrelados ao salário;

  • possibilidade de trabalhar com a área desejada;

  • experiência com a função, agregando valor para o profissional.

Informações sobre concursos e editais

Não adianta se preparar diariamente, estudar meses antes e, ao final, perder o dia da prova ou não perceber que haviam outros conteúdos exigidos no edital.

Para garantir sua vaga, além de todo o preparo no aprendizado e para o desenvolvimento da prova, é importante saber e seguir as informações sobre concursos e editais, evitando deslizes por falta de atenção.

Para isso, é possível seguir algumas dicas referentes aos concursos e editais, como:

Leitura do edital

O edital do concurso é sempre publicado no Diário Oficial da União; é nesse documento que serão informados dados como:

  • quantidade de vagas para cada profissão de acordo com as cidades definidas;

  • salário para cada vaga;

  • especificidades relacionadas ao conteúdo cobrado;

  • benefícios e informações burocráticas sobre as oportunidades;

  • obrigações de cada candidato.

De forma resumida, o edital oferecerá todas as questões relacionadas às oportunidades e processo seletivo, o que deve ser lido detalhadamente, definindo qual vaga será disputada e quais as obrigações para isso.

Vale lembrar que os editais são disponibilizados cerca de 60 dias antes do concurso, um período curto para preparo. Assim, é preciso investir em uma rotina de estudos antes de sair o edital, sendo possível focar em áreas gerais que sempre são cobradas em concursos ou seguir os itens de edições passadas, lembrando que podem existir alterações.

Identificação dos tipos de prova

Ao contrário do que muitos pensam, os concursos públicos podem ter questões objetivas de múltipla escolha ou para marcar verdadeiro ou falso e questões discursivas, em que o candidato deve escrever a resposta no campo de texto.

É preciso entender se a vaga cobra essas duas possibilidades e, assim, treinar o preenchimento tanto das objetivas quanto discursivas, evitando erros no dia.

Para isso, é bom fazer alguns passo a passos que simulem a situação oficial, em que apenas uma alternativa é correta e deve ser preenchida adequadamente, evitando rasuras. Para questões discursivas, vale focar em respostas claras e com termos corretos, além de prezar por uma boa ortografia!

Conteúdo cobrado

No edital, é pontuado quais as áreas do conhecimento que são cobradas na prova e se há conteúdo específico de acordo com a vaga. Para vagas de ensino superior, por exemplo, é comumente cobrado língua portuguesa, matemática, atualidades, conhecimentos gerais, informática e direito, exigindo que o candidato se aprofunde em direito administrativo e constitucional.

Além disso, existem divisões dentro das áreas do conhecimento, indicando o que mais cai em concursos. Em matemática, por exemplo, as questões mais comuns envolvem porcentagem, matemática financeira, probabilidade e estatística, proporcionalidade, equações de primeiro e segundo grau, progressão aritmética ou geométrica e geometria, assim, o candidato deve estudar a matéria no geral, porém, saber essas subáreas na ponta da língua.

Atenção com a banca

A banca examinadora é composta pelas instituições responsáveis pelo desenvolvimento e/ou correção das provas, como CESPE, ESAF, FGV, VUNESPE e outras, além de eventuais parcerias com órgãos públicos.

Mesmo com critérios padronizados, cada instituição tem um estilo de elaboração das provas, que pode ser melhor familiarizado a partir de treinos com provas de edições passadas.

Além disso, cada banca oferece sites e acessos para que o concurseiro encontre as informações sobre a prova e veja seus resultados, lista e demais especificidades.

Acompanhamento das notícias

O edital mostra as informações gerais da prova e do concurso em si, compilando os dados gerais para o concurseiro se organizar. Porém, não é incomum que os concursos sofram alterações de datas, conteúdo ou sejam eventualmente cancelados ou suspensos, influenciando no preparo do candidato.

Para não ser pego de surpresa, o interessado deve estar sempre atualizado e acessando canais informativos!

Informações específicas

Após o dia da prova, há 3 principais datas que oferecem informações e recursos extras para os candidatos, sendo eles:

Gabarito preliminar

As respostas oficiais são liberadas dias após a data da prova, possibilitando a conferência das questões. O gabarito preliminar é, no entanto, a primeira versão das respostas, pois os candidatos podem pedir para serem revistas ou mesmo canceladas.

Recurso

Esse processo de avaliação, revisão e pedido de alteração das respostas é chamado “Recurso” e pode ser utilizado logo após a data de liberação do gabarito, geralmente com 2 dias garantidos.

Com ele, o concurseiro pode argumentar sobre a existência de dupla resposta ou pedir nulidade perante alternativas inválidas, afetando os resultados de todos os candidatos.

Homologação

Para dar um “ponto final” ao concurso e indicar seu término oficial, há o período de homologação, dado pela publicação da lista de aprovados e contabilizando a validade do concurso, que pode ser de 2 anos com uma possível prorrogação.

Todos esses recursos e datas devem ser acompanhados para maior proveito do concurseiro iniciante, ajudando a se atualizar e aproveitar o que foi oferecido pela banca.

Escolha do curso preparatório

O curso preparatório é um auxílio completo para o concurseiro iniciante, gerando mais chances de aprovação. Claro que os estudos e o esforço dependem do aluno, porém, há cursos presenciais e EAD que oferecem conteúdos proveitosos para o estudante, como os oferecidos pelo Focus Concursos, que trazem:

  • videoaulas explicativas que esmiúçam o conteúdo;

  • canal de contato com os professores e com o suporte ao aluno, ajudando a responder dúvidas;

  • diversidade de aulas, com foco nas especificidades de cada edital e carreira;

  • temas de redação e materiais baseados em provas anteriores , ajudando no treino;

  • simulados para o preparo do concurseiro iniciante;

  • informações relevantes sobre cada carreira.

Todos esses pontos são bem desenvolvidos e oferecidos em um curso preparatório. Assim, se o concurseiro iniciante tem disponibilidade e interesse, pode ser uma ótima solução!

Além disso, a plataforma do Focus Concursos também trabalha com o melhor custo-benefício do mercado, com planos adequados ao estudante e concurseiro iniciante que almeja a vaga tão sonhada. Para conferir, basta entrar em contato, definindo qual é o plano e quais itens são ideais para otimizar o treino para concursos.

Gostou das informações sobre concursos para concurseiro iniciante? Aproveite esse momento de preparação e baixe o nosso e-book sobre como fazer um plano de estudos para esse tipo de prova!